Notícias

Escola Sem Bullying, Escola Sem Violência

2019-10-21
Escola Sem Bullying, Escola Sem Violência

Todas as formas de violência escolar violam o direito fundamental à educação e nenhum país pode atingir uma educação inclusiva e de qualidade se os seus alunos estiverem expostos a atrocidades. Além disso, a violência escolar, onde se enquadra o bullying, pode ainda afetar seriamente a saúde e o bem-estar das crianças, com consequências negativas que podem persistir até à idade adulta. Tendo em conta que a escola reúne um ambiente propício à aprendizagem e ao desenvolvimento de competências, nomeadamente no âmbito da Estratégia de Educação para a Cidadania, onde os alunos adquirem as múltiplas literacias que precisam de mobilizar para um relacionamento saudável, o Ministério da Educação decidiu impulsionar um Plano de Prevenção e Combate a este flagelo a nível nacional.

 

Todas as formas de violência escolar violam o direito fundamental à educação e nenhum país pode atingir uma educação inclusiva e de qualidade se os seus alunos estiverem expostos a atrocidades. Além disso, a violência escolar, onde se enquadra o bullying, pode ainda afetar seriamente a saúde e o bem-estar das crianças, com consequências negativas que podem persistir até à idade adulta. Tendo em conta que a escola reúne um ambiente propício à aprendizagem e ao desenvolvimento de competências, nomeadamente no âmbito da Estratégia de Educação para a Cidadania, onde os alunos adquirem as múltiplas literacias que precisam de mobilizar para um relacionamento saudável, o Ministério da Educação decidiu impulsionar um Plano de Prevenção e Combate a este flagelo a nível nacional.

 

Assim, preocupado e atento aos fenómenos do bullying que, de acordo com as Nações Unidas, afetam uma em cada 3 crianças/jovens, o CER, através da valência do 1.º CEB, resolveu associar-se a este plano, cujo mote é “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência”, que se configura como um importante instrumento de sensibilização, prevenção e intervenção, destinado a toda a comunidade escolar, com vista à erradicação deste fenómeno.

 

Trata-se de uma iniciativa que tem nos diretores e, claro, nos docentes e no pessoal não docente aliados indispensáveis. Por isso, o Ministério da Educação desafiou todos os diretores de Agrupamentos de Escolas e Escolas Não Agrupadas a elegerem a semana de 14 a 18 de outubro, véspera do Dia Mundial Anti-Bullying, como Semana “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência”, contudo na perspetiva de que o plano de prevenção seja trabalhado e executado ao longo de todo o ano letivo.

 

No caso específico do CER, esta sensibilização decorreu nos moldes de uma ação de cidadania, que teve no Prof. José Augusto Castro, Diretor Pedagógico da valência, o seu orador principal. Depois de um breve debate, o docente deu a conhecer o plano de prevenção, bem como os materiais de suporte às ações a desenvolver pelo colégio, que se encontram no site www.sembullyingsemviolencia.edu.gov.pt, especialmente idealizado para o efeito. No entanto, o momento alto da iniciativa foi mesmo a assinatura do Compromisso “Turma Sem Bullying. Turma Sem Violência”, cuja imagem se encontra em anexo.

 

E porque para saber prevenir e combater casos de bullying é preciso, por um lado, saber identificá-los e, por outro, saber agir, solicita-se a todos os encarregados de educação que deem continuidade a este trabalho, primeiramente através da leitura do folheto disponibilizado e, posteriormente, envolvendo-se no conjunto de iniciativas que se seguirão.

 

Estamos certos de que a adesão da comunidade escolar a esta causa, e o empenhamento dos pais em especial, permitirá alcançar de forma mais eficaz os objetivos propostos, erradicando para sempre a violência em meio escolar.

 

Fotografias:

 

        

        


Voltar »