Notícias

Ondas de Calor Prolongadas neste Verão

2019-05-22
Ondas de Calor Prolongadas neste Verão

Se as temperaturas começaram já a subir nalgumas zonas do país, permitindo até algumas idas à praia antes de o verão chegar, será a partir do próximo mês de junho que o calor virá para ficar, devendo os dias ficar marcados por ondas de calor prolongadas, com os termómetros a chegarem aos 43 graus celsius, pelo menos, de acordo com a informação avançada pelo site de meteorologia norte-americano Accuweather.

 

Se as temperaturas começaram já a subir nalgumas zonas do país, permitindo até algumas idas à praia antes de o verão chegar, será a partir do próximo mês de junho que o calor virá para ficar, devendo os dias ficar marcados por ondas de calor prolongadas, com os termómetros a chegarem aos 43 graus celsius, pelo menos, de acordo com a informação avançada pelo site de meteorologia norte-americano Accuweather.

 

Além de mais intenso, este calor poderá ser mais prolongado do que no período homólogo passado, altura em que se registaram temperaturas recorde nalgumas regiões de Portugal.

 

Embora não corrobore por completo com as conjeturas anteriores, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) confirma que as previsões apontam para temperaturas com valores acima da média.

 

“De facto, as tendências que são conhecidas internacionalmente e que são aceites basicamente por todas as instituições de ciência é que os próximos verões vão ser períodos com valores, em termos médios, acima do que é normal”, sublinha a organização.

 

O IPMA adverte, ainda, que para poder ser considerada uma onda de calor é necessário registarem-se “seis dias consecutivos com temperaturas máximas diárias superiores em cinco graus aos valores médios, sendo “ainda muito cedo para saber se isto vai efetivamente acontecer”.

 

Seja como for, é consensualmente aceite que as ondas de calor estão relacionadas com as alterações climáticas que, segundo é possível constatar, “têm vindo paulatinamente a gerar alguns fenómenos extremos”. Portanto, podemos concluir, em linha com os cenários climáticos divulgados pelo IPCC (Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas), que “estes dias com temperaturas máximas elevadas é algo com o qual teremos de conviver nos próximos anos”, visto que “todos os anos estes valores têm vindo a subir”.

 

A par do calor e do tempo seco, sobe também o risco de desidratação. Tendo em conta que as crianças são um grupo especialmente vulnerável, deixamos aqui alguns cuidados a ser tomados em situações de calor intenso:

 

- beber mais água e/ou sumos de fruta naturais do que habitual e tomar refeições leves e frescas;

- usar vestuário largo, leve e fresco;

- proporcionar ambientes refrescantes (fechar os estores e promover a circulação do ar);

- evitar ir para o exterior durante os períodos de calor;

- não manter crianças dentro de carros estacionados;

- assegurar o aprovisionamento de água e gelo.


Voltar »